quarta-feira, 29 de março de 2017

Hora extra vale a pena?

Hora extra vale a pena?
SERÁ QUE O BRASILEIRO
TRABALHA DEMAIS?


Claudio Vianei

Muita gente acha que fazendo muitas horas extras no seu trabalho tem uma vantagem muito grande. Mas até onde isso é verdade? E para o patrão, será que é um bom negócio deixar o funcionário fazer muitas horas extras, continuamente? Preste atenção neste texto que recebi pela internet e que pode servir de luz para muita gente. Não é um texto de minha autoria e sim da INEJA Comunicação, que me enviou para esclarecimento de  quem nos acompanha.


***

Calcular hora diurna, extra e noturna pode
auxiliar a equilibar carga de trabalho

Dizem que no Brasil existem muitos feriados e que o brasileiro trabalha pouco. Se for pensar em termos de feriado, a  fama tem razão de ser, pois o Brasil é um dos países com maior quantidade de feriados. Porém na Europa, existe a tradição da chamada "semana inglesa", em que os trabalhadores só têm expediente de segunda a sexta-feira. Deixando o mito de lado, o que se vê na prática é que o povo brasileiro é um povo trabalhador, e o Brasil é um país trabalhista. A riqueza que alguns conseguem acumular é fruto do trabalho. Alguns trabalhadores exageram tanto na hora extra que para eles essas horas adicionais já fazem parte do dia-a-dia.

Jornada diária de trabalho
A jornada estabelecida em lei pela Constituição Federal, em seu Art. 7.º, são oito horas diárias e 44 horas semanais. Este é o limite máximo para o trabalho normal. Algumas profissões, no entanto, têm cargas horárias diferenciadas: as telefonistas e os bancários, por exemplo, trabalham seis horas por dia. Os cirurgiões-médicos, quatro horas diárias. Existem variações por categorias, como por exemplo, jornalistas, professores, empregada doméstica, motoristas, entre outros.Segundo o contador e especialista em Direito do Trabalho, Prof. Emerson Costa Lemes, “o exercício das chamadas profissões regulamentadas é determinado por leis. Essas leis estabelecem como a profissão será exercida, as responsabilidades do profissional, e também sua carga horária. Além da Consolidação das Leis do  Trabalho - CLT, a fonte mais rápida de informações é o sindicato da categoria profissional”.Fazer horas extras está na rotina dos trabalhadores brasileiros. Muitos profissionais acreditam que assim garantem seu emprego. Mas para o professor Lemos, hora extra é sinônimo de incompetência. “Se o profissional não conseguiu desempenhar suas tarefas durante o expediente, ou ele é incompetente, ou está faltando gente para dar conta do trabalho”, diz ele, que continua: “A hora extra é um recurso caro, a ser usado pela empresa extraordinariamente, esporadicamente. Quando essa hora extra se torna habitual, diária, passa a integrar o salário do empregado; se em um dia ele não a fizer, terá direito a receber o valor mesmo não tendo trabalhado, pelo fato de se ter tornado habitual”, orienta ele.

Quanto custa a hora extra?
Mas será que a empresa, ou mesmo o funcionário, sabe quanto custa uma hora normal de trabalho? O professor Lemes ensina: “Se ele trabalha seis horas por dia, trabalhará 180 h por mês (6 horas x 30 dias = 180). Dividindo o salário mensal pela carga horária do mês (neste caso, 180) encontra-se o salário por hora, ou seja, o valor de uma hora normal de trabalho. A hora extra tem um adicional que é de no mínimo 50%. Então acrescenta-se ao valor daquela hora normal 50% para saber quando custa uma hora extra. Algumas categorias profissionais conquistaram percentuais melhores de hora extra; e para saber esse percentual é importante procurar o sindicato da categoria específica”.Já o horário noturno, compreendido entre as 22h de um dia e as 5h do dia seguinte, tem valor diferenciado da hora diurna, posto que o trabalho noturno é reconhecidamente mais desgastante que o diurno. Sabendo disso, o legislador definiu que a remuneração da hora noturna terá um acréscimo de 20% sobre o valor da hora diurna. Segundo Lemes, pelo mesmo motivo, definiu-se também que a hora noturna será de 52,5 minutos. “Isso quer dizer que se o expediente se iniciar às 22 h, quando der 22 horas, 52 minutos e 30 segundos já se considerará uma hora de trabalho; às 23 horas e 45 minutos, duas horas de trabalho, e assim por diante”, explica.

Horário noturno
O consultor esclarece que, se neste horário noturno forem realizadas horas extras, o valor de cada hora extra será calculado com o adicional noturno. “Para obter o resultado, deverá ser calculada uma hora normal de trabalho, acrescida dos 20% do adicional noturno. Sobre o resultado deste cálculo, aplica-se o percentual das horas extras. Por exemplo, o trabalhador recebe R$ 5,00 por hora normal de trabalho. R$ 5,00 + 20% de adicional noturno: R$ 6,00. Estes R$ 6,00 terá o acréscimo de 50% da hora extra, chegando esta a R$ 9,00” , explica Lemes.

Banco de horas
Algumas empresas adotam banco de horas, tornando mais flexível a jornada de trabalho para os funcionários. Legalmente reconhecido no final da década de 1990, o banco de horas consiste em se realizar horas extras, compensando-se estas mesmas horas em outro dia.Para Lemes, a flexibilidade do banco é que estas horas podem ser compensadas no período de um ano. “Pode-se realizar horas extras em janeiro, e só compensá-las em dezembro. Para o empregador é bom, pois ele pode usar isso para o controle de sazonalidade. Aquela época em que se exige mais produtividade, faz-se horas extras; nos períodos em que a produção cai, faz-se a compensação do banco de horas. Para o trabalhador, por um lado é interessante, pois ele pode se programar para descansar; por outro lado é ruim pois o banco de horas não prevê o acréscimo de 50%, que é a compensação pelo esforço, pelo trabalho além do normal”, diz ele.O acordo de compensação de horas, atualmente, é o banco de horas. Ele deve ser firmado entre a empresa e seus empregados, com participação do sindicato dos trabalhadores. As regras serão definidas e acordadas pelas três partes, em assembléia. A duração deste acordo, por Lei, é de no máximo um ano, podendo ser prorrogado por meio de assembléia específica, e com a concordância dos empregados.

Jornada civilizada
Para se obter uma jornada civilizada nos dias de hoje, na opinião do especialista, o empresário consciente contratará a quantidade necessária de trabalhadores, sem exigir esforço exagerado de ninguém. Porém, diz ele, “o mercado, a concorrência desleal, a ganância pelo lucro leva empresas a ‘canibalizar’ o trabalho, escravizando seus empregados, fazendo-os trabalhar muito mais do que o necessário. E o resultado é isso que vemos: pessoas trabalhando muito, descansando pouco, divertindo-se menos ainda. Se o trabalhador tem tempo para descansar, tem um trabalho em horário civilizado, tem carga horária compatível, terá melhor qualidade de vida e, consequentemente, melhor qualidade também de trabalho”, finaliza Lemes.
***
Como se vê, nem sempre é vantajoso fazer horas extras: nem para o patrão e nem para o empregado. (Claudio Vianei)

terça-feira, 7 de março de 2017

Lula:" Vão ter de me derrotar na rua"

A NOTÍCIA PUBLICADA
As várias faces de Lula
Na comemoração de 36 anos do PT, Lula desafiou a oposição a lançar um candidato competitivo em 2018, e disse:  "Se quiserem voltar ao poder, se preparem para 2018 e vamos disputar democraticamente. Sacanagem a gente não aceita", afirmou em discurso inflamado para militantes que participavam da festa de 36 anos do PT. "Se quiserem me derrotar, não vão me derrotar mentindo. Vão ter de me derrotar na rua"... e emendou: "Quando deixei a presidência, pensei em sair do Brasil para deixar a Dilma governar. Agora quero dizer Rui -dirigindo-se ao presidente do partido Rui Falcão-, pode estar certo de que se for necessário e vocês entenderem que é necessário para a manutenção do projeto, estarei com 72 anos e tesão de 30 para ser presidente da República".
Luiz Inácio se queixou da cobertura da imprensa sobre acusações que pesam sobre petistas e outros aliados do governo dizendo que "Temos um partido chamado Globo, um partido chamado Veja, um partido chamado Outros Jornais, que são a oposição desse país", reclamou.
Lula disse que a próxima disputa deve ser debate de projetos e citou uma série de realizações de seu governo, especialmente inclusão social.

 (Fonte: Estadão)

Comentando

O que causa espécie nesse senhor que já foi presidente de um país que ele recebeu com a inflação controlada, a economia em crescimento, moeda estabilizada, educação em franca melhora, a saúde ainda capenga, mas bem melhor que antes da era FHC e do Real, é a cara de pau que ele tem!


Conseguiu institucionalizar a corrupção no país, carregando consigo uma legião de desonestos colaboradores desde tempos em que os seus 'cumpanheros' assaltavam bancos, sequestravam pessoas influentes para conseguir dinheiro para as suas atividades desonestas, assim como a sua pupila que hoje (des)governa o Brasil, também fugindo às suas responsabilidades e integrando a panela indecente que está à frente do governo... grande parte deles na cadeia ou quase lá!


Claudio Vianei - Jornalista
Radialista

Um cara que usa um palavreado chulo, indecente às vezes, indigno de alguém que governou um dos maiores países do mundo que é o Brasil... Um sujeito que tem a petulância de colocar as instituições do país em confronto, que faz de tudo para se esconder da justiça...

Por que não enfrenta cara a cara os que o acusam de corrupto, lobista, mentiroso, comandante de um exército de palhaços liderados por outro palhaço, que tem a seu comando um enorme grupo de 'laranjas' para acobertar seus desmandos... São palhaços fazendo o povo de palhaços, também.

Lula, na opinião de muita gente, é um cara muito burro, arrogante, pensa que é o dono da verdade, pensa que é imune à justiça e que seu crime nunca vai ser descoberto. Mas não existe crime perfeito. Depois do seu governo, ganhou a confiança do povo. Em vez do imbecil se afastar e ir curtir a vida com o dinheiro que ganhou das empreiteiras e outras coisas mais, não. Volta. Vaidade, ganancia ou a certeza que não iria dar em nada, e aí deu no que deu. Agora, a situação está nada favorável para vocvê. SE o FHC fez, e eu acredito que tenha feito, ele se afastou do poder e Lula passou a seu o "mané'' da história e vai terminar na cadeia, mais dia, menos dia.

Fernando Henrique é perfeito? Claro que não é. Longe disso. Mas Lula e o PT insistem em desviar o tema, tentam colocar no foco um cara que está longe do poder. Essa tática é para desviar o foco de seus próprios problemas. Mas não está dando resultados pois, a cada dia se descobre uma nova maracutaia, mais um ladrão, mais um 'colaborador' do esquema. Mas não se preocupem pois um dia a casa vai cair. Não vai ficar tijolo sobre tijolo.



Será que Lula consegue chegar a ser candidato e disputar uma outra eleição que, como ele diz, estará com 72 anos e tesão de 30? Sei não, mas acho que vai ter que se candidatar a uma vaga de chefe de turma na prisão. Quem sabe lá, com a sua experiência em comandar bandidos, ele consiga formar uma nova liderança?

                                                                                 ***
- Claudio Vianei -
- Fotos: CV e Reprodução - 

- Publicado: 28fev2016 -                         Visite o Jornal DeBolso - Clique AQUI

Sabendo um pouco mais...

O Brasil teve seu maior
avanço no regime militar.
O "milagre econômico" também...


Quando estourou aquela bagunça de 1964, as coisas ficaram feias no país. O povo não sabia o que fazer nem como se comportar, mas em pouco tempo as coisas foram chegando noas seus devidos lugares.
Naquele tempo eu estava prestes a entrar para o Exército e acompanhei bem de perto o que estava acontecendo com e pelo povo.


Quando os militares assumiram o poder tendo à frente Humberto de Alencar Castello Branco, que assumiu em 15 de abril de 1964 (e ficou no poder até 15 de março de 1967), com o país atolado no desemprego, sem segurança, sem saber que rumo tomar, alguma coisa teria que ser feita. E assim foi feito!
Foram criados 13 milhões de empregos, desafogando milhares de famílias que já nem mais esperanças tinham. Foi na gestão de Castello Branco que a Petrobras (hoje detonada por um bando de aproveitadores) aumentou sua produção de 75 mil barris para 750 mil...


A seguir veio o Presidente Arthur da Costa e Silva, assumindo a presidencia em 15 de abril de 1967 (ficando até 31 de agosto de 1969). No seu mandato aconteceu a estruturação das grandes construtoras nacionais; o crescimento do PIB de 14%; a construção de 4 portos e recuperação de outros 20; foi criada a Eletrobrás; foi implantado o Programa Nuclear e mais a criação da Nuclebrás e subsidiárias; a criação da Embratel e Telebrás (antes, não havia 'orelhões' nas ruas nem se falava por telefone entre os Estados); a construção das Usinas Angra I e Angra II...
Foi nessa época que aconteceu o desenvolvimento das Industrias Aeronáutica e Naval (em 1971 o Brasil foi o 2º maior construtor de navios do mundo); a implantação do Pró-álcool em 1976 (em 1982, 95% dos carros no país rodavam a álcool); a construção das maiores hidrelétricas do mundo: Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipu; o brutal incremento das exportações, que cresceram de 1,5 bilhões de dólares para 37 bilhões; o país ficou menos dependente do café, cujo valor das exportações passou de mais de 60% para menos de 20% do total... A rede de rodovias asfaltadas passou de 3 mil para 45 mil km...

Diferente dos nossos dias atuais, a redução da inflação galopante com a criação da Correção Monetária, sem controle de preços e sem massacre do funcionalismo público; foi incrementado o fomento e financiamento de pesquisa: CNPq, FINEP e CAPES; 


O Presidente Emílio Garrastazu Médici governou o país de 30 de outubro de 1969 a 15 de abril de 1974. Durante o seu período de governante houve aumento dos cursos de mestrado e doutorado; foram criados o INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM; 

Houve a criação do FUNRURAL (a previdência para os cidadãos do campo); o programa de merenda escolar e alimentação do trabalhador; criação do FGTS, PIS, PASEP; criação da EMBRAPA ; foi feita a duplicação da rodovia Rio-Juiz de Fora; foi criada a EBTU. Implementação do Metrô em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza; criação da INFRAERO, proporcionando a criação e modernização dos aeroportos brasileiros (Galeão, Guarulhos, Brasília, Confins, Campinas - Viracopos, Salvador, Manaus); implementação dos Pólos Petroquímicos em São Paulo (Cubatão) e na Bahia (Camaçari...

Foram feitos investimentos na prospecção de petróleo no fundo do mar que redundaram na descoberta da bacia de Campos em 1976... Foi no governo Médici que aconteceu a construção do Porto de Itaquí e do terminal de minério da Ponta da Madeira, na Ilha de S. Luís, no Maranhão. Foram construídos os maiores estádios, ginásios, conjuntos aquáticos e complexos desportivos em diversas cidades e universidades do país; 


De 15 de março de 1974 a 15 de março de 1979, foi a vez do Presidente Ernesto Geisel e em seu governo aconteceu a Promulgação do 'Estatuto da Terra', com o início da Reforma Agrária pacífica; criação da Polícia Federal; o Código Tributário Nacional; o Código de Mineração; a implantação e desenvolvimento da Zona Franca de Manaus; criou-se o IBDF - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal e o  Conselho Nacional de Poluição Ambiental...

Outras mudanças e criações importantes foram feitas no governo Médici: Reforma do TCU; Estatuto do Magistério Superior; INDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário; Criação do Banco Central (em dezembro de 1964); SFH - Sistema Financeiro de Habitação; BNH - Banco Nacional de Habitação; Construção de 4 milhões de moradias; Regulamentação do 13º salário; Banco da Amazônia; SUDAM; Reforma Agrária, Administrativa, Bancária, Eleitoral, Habitacional, Política e Universitária; Ferrovia da soja e Rede Ferroviária foi ampliada de 3 mil e remodelada para 11 mil quilômetros; 


O último dos presidentes militares foi João Baptista de Oliveira Figueiredo (de 15 de março de 1979 a 15 de março de 1985) e foi quem passou o governo, depois de 21 anos de mando militar ao políticos... 
Figueiredo aumentou a frota mercante de 1 para 4 milhões de TDW e mais: Corredores de exportações de Vitória, Santos, Paranaguá e Rio Grande; Matrículas do ensino superior de 100 mil em 1964 para 1,3 milhões em 1981; Mais de 10 milhões de estudantes nas escolas (que eram realmente escolas); Estabelecimentos de assistência médico sanitária de 6 mil para 28 mil; Crédito Educativo; Projeto RONDON; MOBRAL; Abertura da Transamazônica com instalação de agrovilas; Asfaltamento da rodovia Belém-Brasília; Construção da usina hidrelétrica de Boa Esperança, no Rio Parnaíba; Construção da Ferrovia do Aço (de Belo Horizonte a Volta Redonda); Construção da Ponte Rio-Niterói; Construção da rodovia Rio-Santos (BR 101). 

O detalhe que chama a atenção é que nenhum desses presidentes foi acusado de corrupção, não foram acusados de enriquecimento ilícito, não tinham "laranjas" para acobertar posses desonestas, não se trataram quando estiveram doentes, em casas de atendimento médico como o Sírio Libanês e congêneres. Nenhum deles foi preso sob qualquer acusação de fraude ou roubo e as obras que fizeram não foram superfaturadas

Aconteceram excessos? Claro que sim, como em qualquer lugar existe. Há os bons e os maus e são os maus que se infiltram no meio dos bons para fazerem badernas, cometer crimes que vão atribuir ao regime e muito mais. Agora, o que é perigoso mesmo é a uma nação negar a sua história... Na verdade tivemos um período difícil e se não fosse com energia e determinação o Brasil que hoje está ruim, por desmandos de quem governou o país nos últimos 13 anos, talvez estivesse pior.

Existem regimes autoritários bem piores do que existiu no Brasil naqueles 21 anos, e muitos falam que são plenas democracias. O regime militar por que passou o país, comparado a eles são meras peças teatrais.

Há 32 anos que os políticos assumiram o governo, e o que os partidos fizeram pelo país durante esses anos todos que estão no poder? 

Quantas vezes nossa moeda foi corrigida ou modificada? Quantas vezes se fez correção adequada dos salários dos trabalhadores? Hoje só se fala em tirar direitos dos trabalhadores, cortar benefícios de quem trabalha, e que paga os polpudos salários desses senhores, para sobrar dinheiro para as festas nababescas dos que deveria estar nos representando condignamente... Mas o que fazem eles? Com os "rabos presos", cada um procurando se livrar das acusações que lhes são imputadas através de provas e mais provas dos roubos cometidos, dos desvios de verbas que poderiam estar beneficiando a saúde, a educação, a segurança no país.

Triste sina a nossa que em época de eleição tem os mesmos ''senhores'' candidatos querendo se perpetuar no poder para ganhar altos salários, endividar ainda mais o país, e não fazer o seu dever de casa que é representar e respeitar quem neles deu seu voto, que é o cidadão desse país tão bonito e tão corrompido!
Tenho dito! (Claudio Vianei em 07 de março de 2017)