terça-feira, 7 de março de 2017

Sabendo um pouco mais...

O Brasil teve seu maior
avanço no regime militar.
O "milagre econômico" também...


Quando estourou aquela bagunça de 1964, as coisas ficaram feias no país. O povo não sabia o que fazer nem como se comportar, mas em pouco tempo as coisas foram chegando noas seus devidos lugares.
Naquele tempo eu estava prestes a entrar para o Exército e acompanhei bem de perto o que estava acontecendo com e pelo povo.


Quando os militares assumiram o poder tendo à frente Humberto de Alencar Castello Branco, que assumiu em 15 de abril de 1964 (e ficou no poder até 15 de março de 1967), com o país atolado no desemprego, sem segurança, sem saber que rumo tomar, alguma coisa teria que ser feita. E assim foi feito!
Foram criados 13 milhões de empregos, desafogando milhares de famílias que já nem mais esperanças tinham. Foi na gestão de Castello Branco que a Petrobras (hoje detonada por um bando de aproveitadores) aumentou sua produção de 75 mil barris para 750 mil...


A seguir veio o Presidente Arthur da Costa e Silva, assumindo a presidencia em 15 de abril de 1967 (ficando até 31 de agosto de 1969). No seu mandato aconteceu a estruturação das grandes construtoras nacionais; o crescimento do PIB de 14%; a construção de 4 portos e recuperação de outros 20; foi criada a Eletrobrás; foi implantado o Programa Nuclear e mais a criação da Nuclebrás e subsidiárias; a criação da Embratel e Telebrás (antes, não havia 'orelhões' nas ruas nem se falava por telefone entre os Estados); a construção das Usinas Angra I e Angra II...
Foi nessa época que aconteceu o desenvolvimento das Industrias Aeronáutica e Naval (em 1971 o Brasil foi o 2º maior construtor de navios do mundo); a implantação do Pró-álcool em 1976 (em 1982, 95% dos carros no país rodavam a álcool); a construção das maiores hidrelétricas do mundo: Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipu; o brutal incremento das exportações, que cresceram de 1,5 bilhões de dólares para 37 bilhões; o país ficou menos dependente do café, cujo valor das exportações passou de mais de 60% para menos de 20% do total... A rede de rodovias asfaltadas passou de 3 mil para 45 mil km...

Diferente dos nossos dias atuais, a redução da inflação galopante com a criação da Correção Monetária, sem controle de preços e sem massacre do funcionalismo público; foi incrementado o fomento e financiamento de pesquisa: CNPq, FINEP e CAPES; 


O Presidente Emílio Garrastazu Médici governou o país de 30 de outubro de 1969 a 15 de abril de 1974. Durante o seu período de governante houve aumento dos cursos de mestrado e doutorado; foram criados o INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM; 

Houve a criação do FUNRURAL (a previdência para os cidadãos do campo); o programa de merenda escolar e alimentação do trabalhador; criação do FGTS, PIS, PASEP; criação da EMBRAPA ; foi feita a duplicação da rodovia Rio-Juiz de Fora; foi criada a EBTU. Implementação do Metrô em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza; criação da INFRAERO, proporcionando a criação e modernização dos aeroportos brasileiros (Galeão, Guarulhos, Brasília, Confins, Campinas - Viracopos, Salvador, Manaus); implementação dos Pólos Petroquímicos em São Paulo (Cubatão) e na Bahia (Camaçari...

Foram feitos investimentos na prospecção de petróleo no fundo do mar que redundaram na descoberta da bacia de Campos em 1976... Foi no governo Médici que aconteceu a construção do Porto de Itaquí e do terminal de minério da Ponta da Madeira, na Ilha de S. Luís, no Maranhão. Foram construídos os maiores estádios, ginásios, conjuntos aquáticos e complexos desportivos em diversas cidades e universidades do país; 


De 15 de março de 1974 a 15 de março de 1979, foi a vez do Presidente Ernesto Geisel e em seu governo aconteceu a Promulgação do 'Estatuto da Terra', com o início da Reforma Agrária pacífica; criação da Polícia Federal; o Código Tributário Nacional; o Código de Mineração; a implantação e desenvolvimento da Zona Franca de Manaus; criou-se o IBDF - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal e o  Conselho Nacional de Poluição Ambiental...

Outras mudanças e criações importantes foram feitas no governo Médici: Reforma do TCU; Estatuto do Magistério Superior; INDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário; Criação do Banco Central (em dezembro de 1964); SFH - Sistema Financeiro de Habitação; BNH - Banco Nacional de Habitação; Construção de 4 milhões de moradias; Regulamentação do 13º salário; Banco da Amazônia; SUDAM; Reforma Agrária, Administrativa, Bancária, Eleitoral, Habitacional, Política e Universitária; Ferrovia da soja e Rede Ferroviária foi ampliada de 3 mil e remodelada para 11 mil quilômetros; 


O último dos presidentes militares foi João Baptista de Oliveira Figueiredo (de 15 de março de 1979 a 15 de março de 1985) e foi quem passou o governo, depois de 21 anos de mando militar ao políticos... 
Figueiredo aumentou a frota mercante de 1 para 4 milhões de TDW e mais: Corredores de exportações de Vitória, Santos, Paranaguá e Rio Grande; Matrículas do ensino superior de 100 mil em 1964 para 1,3 milhões em 1981; Mais de 10 milhões de estudantes nas escolas (que eram realmente escolas); Estabelecimentos de assistência médico sanitária de 6 mil para 28 mil; Crédito Educativo; Projeto RONDON; MOBRAL; Abertura da Transamazônica com instalação de agrovilas; Asfaltamento da rodovia Belém-Brasília; Construção da usina hidrelétrica de Boa Esperança, no Rio Parnaíba; Construção da Ferrovia do Aço (de Belo Horizonte a Volta Redonda); Construção da Ponte Rio-Niterói; Construção da rodovia Rio-Santos (BR 101). 

O detalhe que chama a atenção é que nenhum desses presidentes foi acusado de corrupção, não foram acusados de enriquecimento ilícito, não tinham "laranjas" para acobertar posses desonestas, não se trataram quando estiveram doentes, em casas de atendimento médico como o Sírio Libanês e congêneres. Nenhum deles foi preso sob qualquer acusação de fraude ou roubo e as obras que fizeram não foram superfaturadas

Aconteceram excessos? Claro que sim, como em qualquer lugar existe. Há os bons e os maus e são os maus que se infiltram no meio dos bons para fazerem badernas, cometer crimes que vão atribuir ao regime e muito mais. Agora, o que é perigoso mesmo é a uma nação negar a sua história... Na verdade tivemos um período difícil e se não fosse com energia e determinação o Brasil que hoje está ruim, por desmandos de quem governou o país nos últimos 13 anos, talvez estivesse pior.

Existem regimes autoritários bem piores do que existiu no Brasil naqueles 21 anos, e muitos falam que são plenas democracias. O regime militar por que passou o país, comparado a eles são meras peças teatrais.

Há 32 anos que os políticos assumiram o governo, e o que os partidos fizeram pelo país durante esses anos todos que estão no poder? 

Quantas vezes nossa moeda foi corrigida ou modificada? Quantas vezes se fez correção adequada dos salários dos trabalhadores? Hoje só se fala em tirar direitos dos trabalhadores, cortar benefícios de quem trabalha, e que paga os polpudos salários desses senhores, para sobrar dinheiro para as festas nababescas dos que deveria estar nos representando condignamente... Mas o que fazem eles? Com os "rabos presos", cada um procurando se livrar das acusações que lhes são imputadas através de provas e mais provas dos roubos cometidos, dos desvios de verbas que poderiam estar beneficiando a saúde, a educação, a segurança no país.

Triste sina a nossa que em época de eleição tem os mesmos ''senhores'' candidatos querendo se perpetuar no poder para ganhar altos salários, endividar ainda mais o país, e não fazer o seu dever de casa que é representar e respeitar quem neles deu seu voto, que é o cidadão desse país tão bonito e tão corrompido!
Tenho dito! (Claudio Vianei em 07 de março de 2017)

Nenhum comentário:

Postar um comentário